Participação da Rede Trans Brasil na 22ª Conferência Internacional de Aids realizada em Amsterdã.

Conferência Internacional de Aids realizada em Amsterdã, que contou com a brilhante participação da Rede Trans Brasil empenhada em levar nossas ações e discutir a política de Aids junto a população de Mulheres Travestis e Transexuais e Homens Trans.

A Rede Trans Brasil em atenção ao convite oferecido pelo Departamento Nacional de IST, HIV/Aids e Hepatites Virais (DIAHV), para participar da 22ª Conferência Internacional de AIDS, esteve promovendo diversas articulações junto ao movimento Trans de Direitos Humanos e Aids na cidade de Amsterdã (Holanda), nossa presidente Tathiane Araújo participou da Conferência que se iniciou dia 23 de julho e finaliza no dia 27 de julho de 2018, em conjunto com diversas outras entidades não governamentais (ONG’s) que militam na luta contra a Aids no Brasil.

No 29 de Janeiro de 2018 a Rede Trans Brasil realizou diversas atividades da IV Semana da Visibilidade Trans, e uma delas foi uma reunião conjunta com esse Departamento (DIAHV) que contou com a participação de representantes de 22 Estados brasileiros, passando nossas demandas pontuadas e dentre elas a necessidade da qualificação dos profissionais de Estados e Municípios na dispensação da PREP e PEP, e também sobre a necessidade de estratégias e pesquisas que venham trazer um quadro real sobre a atual situação de vulnerabilidade da nossa população diante da epidemia da Aids e os crescentes casos nas IST.

Outra preocupação da Rede Trans Brasil é a política incipiente em relação aos Homens Trans que ainda na política de saúde do Governo são vistos como mulheres lésbicas, a Rede Trans Brasil foi a primeira entidade brasileira a lançar uma Cartilha de Saúde exclusiva e destinada a esse público (lançada em 29 de Janeiro de 2018), ressaltada com muito êxito por diversos ativistas nesse congresso. Essa cartilha é uma produção de trabalho de diversos militantes da Rede Trans Brasil, elaborada exclusivamente por Homens Trans filiados à Rede Trans, que passaram todo o ano de 2017 na elaboração da mesma. E através das nossas reivindicações o Governo brasileiro lança também uma cartilha para Homens Trans no final do semestre deste ano. Ressaltamos o compromisso dessa Rede tanto no controle social, quanto nas proposições positivas dos organismos governamentais, em especial a saúde onde ocupamos vaga no Conselho Nacional de Saúde (CNS), na Comissão da Articulação de Movimentos Sociais (CAMS) e na incidência direta através das proposições levantadas nos nossos Workshops Regionais e o Nacional.

Segue alguns registros:

 

Nossa Presidente Tathiane Araújo em momento de fala, a atual situação brasileira sobre prevenção e assistência ao HIV/Aids para população Trans.

 

Em atividade na Vida Global é uma Mulher Trans Peruana relatando a situação da questão do uso indiscriminado do silicone industrial, representando as Mulheres Trans da Sul América, na mesma mesa México e Estados Unidos falaram da mesma situação, e suas complicações no América Central e do Norte. Confira abaixo:

Deixe um comentário