Oportunizar: conheça a equipe do projeto que vai promover a empregabilidade trans pelo Brasil

Em fevereiro, a Rede Trans iniciou a execução do Oportunizar, projeto que tem o objetivo de fortalecer ações institucionais do movimento trans, capacitando lideranças e realizando ações de advocacy sobre qualificação e empregabilidade nas cinco regiões do país. Um intenso processo seletivo dos agentes regionais foi realizado através de interlocução com as instituições parceiras nas dez cidades atendidas pelo projeto.

A seleção foi criteriosa quanto ao nível de conhecimento dos indicados sobre os temas das ações. “Tivemos o cuidado na indicação de pessoas que já tivessem passado pelo processo de formação em advocacy e tivessem conhecimento do tema de empregabilidade”, explicou Tathiane Araujo, coordenadora do Oportunizar.

Entre abril e maio, alguns ajustes foram feitos na equipe e o início das ações teve que ser adiado em algumas semanas. “Tivemos que prorrogar o início das ações para junho, porém com a certeza da decisão apropriada sobre as pessoas escolhidas”, justificou Tathiane.

Conheça as lideranças escolhidas para integrar a equipe técnica do Oportunizar:

CENTRO-OESTE

Leonardo Luiz (Brasília, DF): personal trainer, graduado em Educação física, pós-graduado em atividades aquáticas; Segundo Secretário da Rede Distrital Trans; Coordenador da região Centro-Oeste do Instituto Brasileiro de Transmasculinidades (IBRAT); ativista pelos direitos humanos de homens trans e transmasculines há mais de 5 anos.

 

Cristiany Beatriz (Goiânia, GO): educadora social, Tesoureira do Fórum de Transexuais de Goiás e da ASTRAL-GO, Secretária da Rede Trans Brasil na região Centro-Oeste, Conselheira Estadual da Mulher de Goiás (CONEM-GO), Conselheira Estadual de Combate à LGBTfobia em Goiás, coordenadora do Projeto Viva Melhor Sabendo (DCCI/Ministério da Saúde).

 

NORDESTE

Silvinha Cavalleire (Fortaleza, CE): travesti, Vice-Presidenta Nacional e Diretora Nacional de Trabalho, Emprego e Renda da União Nacional LGBT (UNALGBT); 2ª Secretária da Associação de Travestis e Mulheres Transexuais do Ceará (ATRAC); Conselheira Nacional de Combate à Discriminação – CNCD; Conselheira Nacional dos Direitos da Mulher – CNDM; Conselheira Cearense dos Direitos da Mulher – CCDM.

 

Samantha Vallentine Cabral de Souza (Recife, PE): mulher trans, negra da periferia do Recife. Graduanda do curso de Ciências Sociais pela UFPE, educadora popular; presidenta da Nova Associação de Travestis e Transexuais de Pernambuco (NATRAPE); representante da Rede Monalisa; ativista em Direitos Humanos; pesquisadora de gênero, sexualidade e dissidências.

 

Paulett Furacão (Salvador, BA): estudante de Pedagogia pela UFBA, primeira transexual a ocupar um cargo público no estado da Bahia; Educadora Social no Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e do Programa de Inserção de Jovens ao Mercado de Trabalho e Prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis na Bahia. Atriz, poetisa e assessora parlamentar da Deputada Olívia Santana.

 

NORTE

Flores Astrais (Belém, PA): travesti, multiartista, produtora cultural. Cofundadora do movimento artístico Themônias da vanguarda paraense. Integrante do coletivo TransAmazonies, do Grupo de Resistência de Travestis e Transexuais da Amazônia (GRETTA) e da Rede Paraense de Pessoas Trans.

 

 

Rafaela Esteffans (Macapá, AP): mulher trans, socióloga, cantora, ativista LGBTQIA+ há 6 anos; Conselheira Suplente Estadual e Conselheira Municipal no Conselho Municipal LGBTQIA; representante da Rede Trans Brasil no Amapá, coordenadora de pessoas trans na ONG Pró Vida LGBT Amapá.

 

 


SUDESTE

Janaína Lima (São Paulo, SP): travesti formada em Pedagogia, atuou como Educadora Social pelo Cedap e pelo Grupo Identidade no projeto Cidadania na Pista; foi Conselheira Nacional de Saúde, Presidenta do Conselho LGBT de São Paulo, gestora pública na Prefeitura de São Paulo na Coordenadoria de Assuntos LGBT; atualmente no mercado informal como profissional do sexo.

 

Liliane Anderson Reis Caldeira (Vitória, ES): atualmente autônoma, cursando a faculdade de Enfermagem. Trabalhos realizados entre 2002 e 2018: fundadora da Associação de Travestis e Transexuais do Estado Espirito Santo; Agente em Saúde SAE (CTA São Mateus/ES); Coordenadora de projeto para usuários de drogas e população de rua da Secretaria Municipal de Saúde de Vitória (ES); projeto Tulipa e projeto Transpondo Barreiras; Pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em Direitos Humanos da Universidade Federal de Minas Gerais (NUH/UFMG).

 

SUL

Ana Paula Sander (Porto Alegre, RS): mulher trans formada em História (licenciatura) pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS); atualmente cursa pós-graduação em Educação Especial Inclusiva no Instituto Educacional do Rio Grande do Sul (IERGS); Atuou por 2 anos como professora-assistente em nível fundamental com alunos especiais de inclusão (SIR). Integra a diretoria da Igualdade RS – Associação de Travestis e Transexuais do Rio Grande do Sul como tesoureira.

1 comentário em “Oportunizar: conheça a equipe do projeto que vai promover a empregabilidade trans pelo Brasil”

  1. Parabéns Pela Nossa Representação Nesse Projeto Que Possa Alcança a Tantas Trans e Demais Em Situação de Vulnerabilidade Espalhados pelo Brasil.

    Responder

Deixe um comentário