Realizado com sucesso o IV Encontro Regional Nordeste da Rede Trans Brasil, 01 a 03 de julho 2019 em Maceió –AL

Realizado entre os dias 01, 02 e 03 de julho no Salão do Museu da Imagem e Som de Alagoas – MISA e no salão do Hotel Ouro Branco na cidade Maceió – AL. O Workshop teve como programação os painéis de debates sobre as demandas da população Trans, identificadas no nosso último encontro do …

Ler mais…Realizado com sucesso o IV Encontro Regional Nordeste da Rede Trans Brasil, 01 a 03 de julho 2019 em Maceió –AL

Mortes de Pessoas Trans de Maio 2019 – Rede Trans Brasil

  • 01/05 – Jasmyne Fontile , 22 anos– Natal – RN.

https://www.facebook.com/ramujotinha/videos/pcb.343540432969533/343540359636207/?type=3&theater

  • 05/05 – Larissa Rodrigues da Silva, 21 anos – São Paulo -SP Trans é morta a pauladas na zona sul de São Paulo…

https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2019/05/05/trans-e-morta-a-pauladas-na-zona-sul-de-sao-paulo.htm?cmpid=copiaecola

 

  • 10/05 Travesti não identificada, sem documentação– Diadema -SP Homem é preso suspeito de matar travesti em motel de Diadema, no ABC paulista

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/05/10/homem-e-preso-suspeito-de-matar-travesti-em-motel-de-diadema-no-abc-paulista.ghtml

 

  • 13/05 Não há nome social, apenas o civil, 25 anos– Belo Horizonte -MG Travesti é assassinada a facadas na Avenida Pedro I, em BH

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2019/05/13/interna_gerais,1053329/travesti-e-assassinada-a-facadas-na-avenida-pedro-i-em-bh.shtml

 

  • 17/05 – Alana Ferreira, 34 anos, São Paulo -SP Travesti é morta em SP e testemunhas falam em espancamento; polícia registra como morte suspeita.

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/05/17/travesti-e-morta-em-sp-e-testemunhas-falam-em-espancamento-policia-registra-como-morte-suspeita.ghtml

 

  • 31/05 Rosinha do Beco, 62 anos, Seabra -BA -Travesti idosa da Chapada da Diamantina é morta a pauladas e tem corpo ateado fogo

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2019/06/travesti-de-62-anos-e-morta-a-pauladas-em-cidade-da-bahia.shtml

 

Nota de Louvor da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil pela criminalização no Supremo Tribunal Federal.

Nota de Louvor da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil pela criminalização no Supremo Tribunal Federal.   Brasília, 14 de Junho de 2019.   A Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil – REDETRANS teve sua fundação e registro no ano de 2009, na cidade do Rio de Janeiro, e é uma instituição nacional …

Ler mais…Nota de Louvor da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil pela criminalização no Supremo Tribunal Federal.

Afiliadas da Rede Trans Brasil vão as ruas a favor de uma educação de qualidade e marcham com a multidão em apoio!

A educação do Brasil vem passando por grandes transformações ao longo do tempo, desde o período colonial quando a educação era dada apenas para homens, ricos, brancos e donos de grandes extensões de terras que pudessem pagar pelo ensino, poderiam ter acesso à educação.

Foram-se travadas grandes batalhas para que a população brasileira de diversas categorias tivessem o acesso a leitura, interpretação de textos, aprendizagem as operações, identificação de mapas, conhecimento a história de seu território e a aprendizagem sobre música, artes e cultura dentre outros saberes.  Nesse contexto, a escola foi se tornando mais acessível para o restante da população (lembrando que isso perdurou quase 519 anos até os dias de hoje) formado de mulheres, negros, pobres, pessoas com deficiências, população rural, indígenas, quilombolas, imigrantes dentre outros, puderam ter uma educação pautada nos seus interesses voltados para sua compreensão.

Nesse atual governo federal, existe uma proposta de cortes de verbas, fantasiado de “contingenciamento“, na educação para dificultar o acesso da população menos favorecida a esta politica. Uma categoria em especial continua lutando e resistindo pelo acesso à educação, a população LGBT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais) que desde a sua primeira conferencia nacional em 2008, pautam pontos específicos que tratam de sua entrada e permanência na educação do país, dentre elas o respeito ao Nome social, que trouxe um grande numero de travestis e transexuais de volta as salas de aula. Algumas categorias desse segmento conseguem se inserir contado com a sensibilização de educadores, equipe pedagógica e direção, o que não é realidade da maioria de Travestis e Transexuais, que por conta da falta de qualificação da discussão de identidade de gênero de pessoas trans em no ambiente escolar ainda no século XXI amargam a exclusão da sociedade e o desprezo de políticos e educadores de vários lugares do país.

Essa luta travada pela população Trans traçando novos moldes pautados no respeito à diversidade, conseguiram algumas ações de êxito pelo país, tendo como maior trunfo o Projeto Transcidadania, Projeto implantado em São Paulo – SP que visa à cidadania, educação e inclusão dessa população no mercado de trabalho formal através de cursos de qualificação das profissões que essa população almeja. O projeto deu tão certo que o então presidente dos Estados Unidos na época, Barack Obama veio ao Brasil conhecer a tão elogiada estratégia de inclusão desse segmento excluído e marginalizado.

Uma reforma esdrúxula na Previdência Social, prevê que os Brasileiros devam se aposentar aos 70 anos com uma espécie de título de capitalização paga pelos trabalhadores sem ajuda do governo federal ou empresário empregador. Realidade muito distante da população Trans  Tendo em vista que mulheres Travestis e Transexuais tem uma expectativa de 35 anos de idade, para mulheres trans também apontamos a precarização da falta de oportunidades de trabalhos formais, pois em pesquisa de instituições do movimento trans em capitais das cinco estimamos que 85% dessa população só tem como alternativa de trabalho a prostituição e também a única alternativa de sobreviver, já os homens transexuais, ainda sofrem a exclusão pelo despreparo do mercado de trabalho com a especificidades e amargam em especial no campo da saúde e seu envelhecimento devido aos agressivos efeitos da hormonioterapia.

Visando se somar a luta dos movimentos sociais comprometidos com uma educação inclusiva e para todxs, diversas afiliadas da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil, participaram em várias cidades do Brasil dos protestos que disseram “Não” as intervenções do atual presidente, na estrutura de educação desde da mentira implantada sobre a Ideologia de gênero, termo que visa deturpar a importante luta de pessoas trans pelo respeito a identidade de gênero até a tentativa de cortar verbas das universidades em uma clara perseguição.

A Rede Trans Brasil aderiu as manifestações que aconteceram no último dia 30 de maio por todo o país, reafirmando o apoio ao chamado das greves pelos sindicatos de classe caso o atual presidente insistir em retirar os direitos da população brasileira na educação, e aos os cortes de direitos na previdência a população do Brasileira, em todos os países que políticas semelhantes foram implantadas não obtiveram êxito, a exemplo o que acontece no Chile, onde vem aumentando drasticamente o numero de suicídios da população de idosos no país.

Nenhum direito a menos aos brasileiros!

Nas fotos pode-se observar as afiliadas e afiliados da Rede nos protestos que aconteceram no ultimo dia 30/05/2019 pelo país                      

Votação do STF à Favor da Criminalização da LGBTfobia

A Rede Trans esteve, toda esta semana de Combate à LGBTfobia atuando no Advocacy Parlamentar e no Supremo Tribunal Federal, e na última sexta-feira oficiamos o Supremo Tribunal Federal da ameaça do projeto do Senado que criminaliza à LGBTfobia e que já chega perseguindo no Congresso à identidade de gênero, bandeira de luta de nossa …

Ler mais…Votação do STF à Favor da Criminalização da LGBTfobia

Nota Pública da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil em alusão ao dia Internacional de Combate a LGBTfobia e pela Criminalização no Supremo Tribunal Federal.

A Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil – REDETRANS teve sua fundação e registro no ano de 2009, na cidade do Rio de Janeiro, e é uma instituição nacional que representa as Travestis e Transexuais do Brasil. Em 2018, 150 pessoas trans foram brutalmente assassinadas no Brasil. Todos os crimes estão descritos no Dossiê …

Ler mais…Nota Pública da Rede Nacional de Pessoas Trans do Brasil em alusão ao dia Internacional de Combate a LGBTfobia e pela Criminalização no Supremo Tribunal Federal.

REDE TRANS BRASIL ESTARÁ HOJE EM DEBATE NA CÂMARA DE DEPUTADOS NA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS.

Nesta Quarta dia 15/05/2019 as 14:00 – Anexo II no plenário 09 diversas entidades da sociedade civil, gestão pública, ministério público dentre outros travaram debate sobre a LGBTfobia. O Requerimento de nº 15/2019, foi de autoria do Dep. Túlio Gadêlha, o observatório da TransFormação está nesta manhã em visita a deputados e senadores em estratégia …

Ler mais…REDE TRANS BRASIL ESTARÁ HOJE EM DEBATE NA CÂMARA DE DEPUTADOS NA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E MINORIAS.

Ações Observatório TransFormação!!!

Observatório Nacional da Trans Formação, foi uma iniciativa proposta através do nosso workshop nacional da Rede Trans de 2017, e proposto como projeto através de articulação junto ao legislativo, que o ex-deputado Jean Wyllys acreditou e destinou emenda parlamentar em 2018, onde iniciamos a execução em janeiro de 2019, esta proposta incide em um conjunto …

Ler mais…Ações Observatório TransFormação!!!

Nota Pública da Rede Trans em alusão ao Dia do Trabalhador

O Dia do Trabalhador, Dia do Trabalho, Dia Internacional dos Trabalhadores ou Festa do Trabalhador é uma data comemorativa internacional, dedicada aos trabalhadores, celebrada anualmente no dia 1 de maio, em quase todos os países do mundo. A História do Dia do Trabalho remonta o ano de 1886 na industrializada cidade de Chicago (Estados Unidos), no dia …

Ler mais…Nota Pública da Rede Trans em alusão ao Dia do Trabalhador